Revista Ciência e Cultura, da SBPC, traz dossiê sobre o desastre de Brumadinho

Artigos foram organizados e produzidos por pesquisadores da UFMG em colaboração com outras instituições

Rastros de destruição deixados pela lama do rompimento. Imagem: Projeto Manuelzão

O mais recente número da Revista Ciência e Cultura, periódico da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), traz como destaque dossiê com artigos sobre o rompimento da barragem da Mina Córrego do Feijão, em Brumadinho, suas consequências, danos e reparação das comunidades locais. A convite da SBPC, o dossiê foi organizado pela professora do Departamento de Psicologia da UFMG, Claudia Mayorga, e pela Diretora do Centro de Pesquisas René Rachou, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Zélia Maria Profeta da Luz.


O papel da ciência nesse caso complexo e o lugar das políticas públicas na formulação de projetos e também as ações para reconstruir as localidades são abordados no texto de apresentação da edição. “Houve contaminação dos solos, dos rios e do ar, impactos na saúde e rupturas nas dimensões ecológica, social, cultural e econômica”, afirmam as coordenadoras do Núcleo Temático.


A publicação traz um artigo de Marcus Vinicius Polignano, coordenador do Projeto Manuelzão e Rodrigo Lemos, coordenador de análise ambiental do Instituto Guaicuy. Os dois apresentam uma análise impactos socioambientais na bacia do rio Paraopeba.


A edição também discute, entre outros assuntos, os problemas respiratórios, as perdas materiais e imateriais, bem como o contexto histórico da mineração exploratória. “Os impactos da mineração são anteriores ao rompimento de barragens e se associam fortemente a um conjunto de violações de direitos”, destaca o artigo de abertura.


Já os impactos à saúde mental foram destacados em entrevista concedida pela coordenadora da Comissão de Psicologia das Emergências e Desastres do Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais (CRP/MG), Mariana Tavares. “Houve aumento do alcoolismo e uso de drogas, de todos os tipos de violência (em especial a doméstica), depressão, suicídios e tentativas, alguns surtos psicóticos, bem como efeitos psicossomáticos”, ressaltou Mariana, que também é membro do Fórum Mineiro de Saúde Mental (FMSM).


O dossiê conta também com artigos assinados pelos professores Maria Isabel Antunes Rocha, da Faculdade de Educação (FaE/UFMG), Adriane Cristina de Melo Hunzicker, do Instituto de Geociências (IGC/UFMG), Lúcia Maria Fantinel, da FaE/UFMG, e membro da Frente Educação do Programa Participa, Léo Heller, professor aposentado da Escola de Engenharia da UFMG, além de docentes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), entre outras instituições.


Com periodicidade trimestral, a revista Ciência e Cultura debate temas de relevância científica e social, visando à reflexão sistemática acerca de assuntos atuais. O novo número pode ser consultado, na íntegra, neste link.

Com informações da Assessoria de Comunicação da Proex.

Informação

Receba nossas notícias

e justiça social

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram

Tel: (31) 3409-9818

Gabinete de Crise  - Sociedade Civil - 2020