Pesquisador Bruno Milanez analisa atuação de mineradoras durante pandemia

Em entrevista ao portal do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, Milanez afirma que se o setor tivesse reduzido de forma coordenada suas operações no começo da pandemia, a disseminação da doença entre os trabalhadores teria sido menor

Engenheiro contribui nas discussões do Gabinete de Crise da Sociedade Civil. Imagem: PoEMAS

No início da pandemia do novo coronavírus no Brasil, em março deste ano, o Ministério de Minas e Energia emitiu portaria na qual considera as atividades ligadas ao setor mineral como essenciais. A decisão é questionada pelo engenheiro, professor da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) e integrante do grupo Política, Economia, Mineração, Ambiente e Sociedade (PoEMAS), Bruno Milanez.

Em entrevista ao portal do Instituto Humanitas Unisinos – IHU, o pesquisador aponta que as cidades brasileiras com grandes projetos minerários registram altos casos de contaminação, como é o caso de Parauapebas, no Pará e Itabira, onde a companhia Vale foi fundada. Milanez também aponta a contradição das mineradoras que investem em campanhas de marketing para convencer que as operações são seguras, enquanto trabalhadores relatam que as medidas protetivas são insuficientes.

Leia a entrevista completa neste link.

Informação

Receba nossas notícias

e justiça social

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram

Tel: (31) 3409-9818

Gabinete de Crise  - Sociedade Civil - 2020