Mesmo com empregados contaminados pelo coronavírus, Vale mantém operação

Ao menos dois funcionários da empresa testaram positivo para o novo vírus


Mineradora anuncia compra de kits de testes mas mantém seus funcionários trabalhando. Fonte: print do site da Vale.

Mesmo com pelo menos dois funcionários contaminados pelo novo coronavírus – Covid-19 –, a mineradora Vale mantém suas operações a pleno vapor em Minas Gerais e no Pará, colocando em risco seus funcionários e a população desses estados, além de contribuir para a disseminação do vírus no país. Dos 55 mil funcionários da mineradora, um em Minas Gerais e um no Rio de Janeiro estão infectados pelo coronavírus. A Vale mantem seus funcionários em risco enquanto anuncia a compra de 5 milhões de kits de testes para a doença. A manutenção das operações no Brasil contrasta com medidas que a própria empresa tomou em outros países em que atua. Em países como Canadá, Malásia e Moçambique a mineradora já diminuiu ou paralisou operações. No Canadá, a Vale anunciou em comunicado que desacelerou a operação da mina de cobre de Voisey’s Bay por quatro semanas. A mineração não faz parte da lista de atividades essenciais definida em decreto do governo federal. Quer dizer – a opção por obrigar milhares de funcionários a se encontrarem e trabalharem durante a pandemia é exclusiva da Vale. Quem atua nas minas segue trabalhando em todo o Brasil como se não houvesse uma pandemia se alastrando pelo país. Apenas parte dos funcionários de áreas administrativas tiveram a permissão para trabalhar de casa. Em entrevista para a reportagem do Intercept Brasil, Rafael Ávila, presidente do Sindicato Metabase Inconfidentes, que representa mais de 10 mil trabalhadores de Congonhas, Ouro Preto e Mariana, contou que a Vale tem se recusado a negociar. “A Vale está se negando a paralisar as atividades. Só vão parar se acontecer alguma coisa. É um equívoco. Tinha que paralisar desde já todas as atividades da mineração e se organizar para cumprir o papel social que essas mineradoras deveriam ter. A Vale se nega a discutir com os trabalhadores uma solução”, ele me disse. Minas Gerais registra 153 casos confirmados de coronavírus até o momento. Congonhas registra 104 casos suspeitos e nenhum confirmado. Mariana, Itabira e Nova Lima, que possuem operações da Vale, têm casos confirmados. A Vale é responsável pelos dois maiores crimes socioambientais da história do Brasil, os rompimentos das barragens de Mariana, em 2015, e de Brumadinho, em 2019, que juntos mataram 289 pessoas e causaram gigantescos impactos na bacia do rio Doce e Paraopeba.


Leia a reportagem completa realizada pelo Intercept Brasil em colaboração com o Observatório da Mineração.

Informação

Receba nossas notícias

e justiça social

  • Preto Ícone Facebook
  • Preto Ícone Instagram

Tel: (31) 3409-9818

Gabinete de Crise  - Sociedade Civil - 2020